Não reclame de barriga cheia.

Ler é um hábito que carrego desde pequena. No meio de tantos irmãos, sem dinheiro para comprar brinquedos, via nos livros o meu refúgio. 

Costumava ouvir minha mãe dizer: "Não reclame de barriga cheia". E ela na sua simplicidade de nordestina, vitima das secas e da falta de recursos, veio pra São Paulo em busca de refúgio. Casou cedo e se dedicou a família.

Cada um de nós encontra seu refúgio em algum lugar. Eu nos livros, minha mãe na cidade grande, e muitos buscam na fé. Na fé de que dias melhores virão, e que Deus de certa forma os recompense.

Ao derapar com esta imagem da Somália, em que crianças passando fome, não abdicaram da fé, e jejuaram seguindo a tradição do Ramadã, me veio a lembrança da frase dita por minha mãe.

Quantas pessoas vivem reclamando de um amor perdido, de um emprego que não conseguiu, de uma nota baixa na escola, disso ou daquilo. Cada pessoa enxerga sua dor maior do que a de outra pessoa, e reclama da vida, mas de barriga cheia.

Imaginem estas crianças o quanto elas sofrem. Em uma região onde a miséria se faz presente e muitas morrem de fome, elas permanecem ali, orando e jejuando. E sem reclamarem. Acreditando que era seu destino passar por provações.

Da próxima vez que você for reclamar de algo, pense. "Minha barriga está cheia", e vá a luta por dias melhores!

Kátia Figueira- Katytasv

Um comentário:

  1. Essa imagem das crianças famintas, miseráveis, porém valorosas é realmente para fazer os insaciáveis e egoístas colocarem a mão na consciência. Sempre estaremos melhor que alguém.
    Jesus disse:" Ai daquele que fizer tropeçar um desses pequeninos (referindo-se às crianças e aos oprimidos), melhor lhe fora ter uma pedra de moinho amarrada no pescoço e se atirasse ao mar."
    Foi também um recado para os que maltratam os fracos e indefesos ou lhes ensinam a fazê-lo.

    ResponderExcluir