Gilney Viana fala de livro de poemas escrito em cárcere

Gilney Viana ficou dez anos preso durante a ditadura militar, quando escreveu poemas e cartas.
Gilney concedeu entrevista à RádioPT quando recitou três poemas que podem ser ouvidos ao final desta reportagem.


São 66 anos de idade, 10 deles preso pela ditadura militar na década de 1970. Esse é um dos capítulos da vida de Gilney Amorim Viana, que lançou esta semana um livro de poemas escrito nos anos de cárcere.

Com poemas carregados de sentimentos oriundos das inúmeras torturas que sofreu, Gilney Viana recorda uma época de tristeza para o Brasil.
“[O fantasma da ditadura] Ele continua, principalmente pra quem foi preso, torturado, quem teve seus amigos mortos ou desaparecidos, às vezes eles povoam nossos pesadelos. Agora eu acho que tanto socialmente, historicamente e politicamente, são páginas viradas, só faltou virar a página das suas sequelas, das suas consequências, tanto do ponto de vista das pessoas, quanto das instituições que ainda perduram até hoje”.
Gilney, que esteve uma década nas prisões da ditadura, levou cadernos e canetas para escrever seus sentimentos e emoções que sentia naquele período. Cartas para amigos e companheiras formam o conteúdo deste livro carregado de história e sentimentos.

O livro intitulado “Poemas (quebrados) do Cárcere” está disponível na Livraria Leitura, do Conjunto Nacional d Gilney Viana - entrevista sobre o livro “Poemas (quebrados) do Cárcere” by ptbrasil e Brasília, e também pelo sita da Editora Garamond www.garamond.com.br
(Gustavo Toncovitch / Ricardo Weg – Portal do PT)

Ouça a entrevista

Nenhum comentário:

Postar um comentário